quinta-feira, 21 de junho de 2012

Pirata....e o encontro inusitado



                                         Amigos da pirataria alada .... meu mais cordial “Ola” 

Pois é....estava eu aqui matutando sobre a experiência que vivi hoje e resolvi compartilhar com os meus milhões de seguidores espalhados pelo mundo. Foi um encontro verdadeiramente inusitado!!! :

O dia amanheceu meio nublado...mas para pirata que é pirata, não é uma nuvenzinha qualquer que vai espantar a vontade de cumprir o compromisso diário de adoração ao astro rei acompanhado da observação detalhada da natureza e do comportamento dos seres que a compõem,sob efeito da brisa marinha apoiado nos granulados arenosos litorâneos,e purificando o corpo por ação do liquido marítimo ...atividade mais conhecida como “ir a praia para um banho de mar”.......Pois muito bem ,lá fui eu ...mas,ao sentir os primeiros pingos ..que acabaram se tornando uma boa e consistente chuva, resolvi abandonar o local da cerimônia de adoração e me deslocar para um recinto coberto e me dedicar a atividade, com tendência alucinógena (de baixa intensidade) de desfrutar de uma cervejinha longnec “Budwiser”(merchadise gratuito).



Enquanto desfrutava da atividade, percebi a aproximação de um cidadão , vestindo convenientemente uma calça jeans e uma camisa polo perfeitamente passada, compondo um conjunto humano respeitável em qualquer ambiente. Ao se aproximar , percebi que era um velho conhecido. O Comandante Barreira,Capitão de Mar e Guerra da Marinha ,meu velho conhecido desde muito e contemporâneo  de Fernão Dias , colégio em São Paulo onde , alem de cursar o ginásio nos idos anos 60. ,compartilhamos sonhos profissionais e relacionamentos juvenis

Quando me viu sentado no boteco, abriu um , momentâneo, sorriso na ,normalmente, cara carrancuda de milico, o que demonstrou sua amizade por mim. Ele se aproximou , me cumprimentou formalmente,apesar do carinho que nos une, e sentou-se ao meu lado.Perguntei pela Maria do Carmo e pelos filhos e ele respondeu que estavam todos bem , mas sem abandonar o ar de preocupação.Perguntei então o que lhe afligia.A resposta veio imediata em tom de pergunta:

“- Voce não leu a VEJA ?

“- Não leio nenhuma revista” respondi sinceramente

Imediatamente ele se dispôs a relatar um artigo da VEJA que falava sobre a discrepância entre os salários de um funcionário administrativo do Senado Federal que percebia em torno de R$ 20.000,00, por mês ,( direito adquirido por meio de uma nomeação parlamentar ) onde era exigida apenas instrução básica, se comparada a de um Capitão de Mar e Guerra da Marinha comandante de um Navio Aerodromo (mais conhecido como Porta-Aviões) que recebia R$ 10.000,00,por mês e depois de mais de 30 anos servindo orgulhosamente a Pátria.onde era exigida formação superior , alem de qualificações que iam até o nível de mestrado.

Confesso que entendi a preocupação/indignação do meu amigo, porem numa analise rápida não encontrei uma palavra qualquer que pudesse amenizar o inconformismo dele. Sendo assim desviei o assunto e perguntei sobre a vida em geral. Foi aí que senti o seu orgulho por ser um oficial de Marinha. Falou sobre as varias missões que cumpriu na Amazônia,atendendo os ribeirinhos esquecidos pelos políticos naquela região ,complementando o patrulhamento dos rios para impedir que guerrilheiros estrangeiros ou meros traficantes de drogas penetrem no Brasil para aqui ”incomodarem” nossos probos cidadãos instalados em seus escritórios/gabinetes no Sudeste ou no Planalto Central , onde se dedicam a colecionar divisas em seus próprios cofres. Falou sobre os arriscados voos noturnos realizados sobre o mar para resgatar acidentados em navios mercantes que cruzam o Atlantico, cumprindo assim um compromisso internacional assinado pelo Brasil .Continuou orgulhoso lembrando das viagens ao exterior a bordo dos navios ostentando o pavilhão nacional fazendo uma demonstração do poderio técnico brasileiro para que nosso país seja respeitado em qualquer fórum internacional ... como realmente o é... e não apenas porque tem bons boleiros ou bonitas senhoritas dotadas de admiráveis...” derrières”.
O comandante Barreira continuou com sua explanação, mas confesso que eu não estava la prestando muita atenção no assunto... até porque , ninguém mais dá bola pra esse papo de milico.

Quando o papo já estava ficando meio enfadonho, percebi a aproximação de um cara apressado ,grisalho , uniformizado e com pinta de piloto de Boing que identifiquei como sendo o meu novo amigo, o Piloto sério de Offshore José Barreira.Quando me viu, se aproximou e abriu um sorriso e foi logo me sacaneando :

“ – e aí Pirata?.. sempre na vida boa né?

Sem responder a provacação ...apresentei a ele meu velho amigo de Marinha,... e se cumprimentaram formalmente.Foi quando me surpreendi. O meu sério amigo piloto de Offshore , olhou para meu velho amigo de Marinha e diisse:

“- Comandante , muito prazer em conhece-lo!... Já ouvi falar muito do senhor e conheço toda a sua história.Aliás faço uso , se me permite , da sua conhecida experiência na minha atividade profissional. Tudo bem que minha atividade,offshore, é civil , nada comparada a sua experiência militar de longo tempo, mas como nas nossas atividades aéreas, a segurança, depende de planejamento, organização e principalmente ... profissionalismo...me parece inteligente, usufruir da experiência alheia, para desempenhar as minhas atividades profissionais”

Perguntei ao meu amigo o por que da pressa e ele respondeu prontamente:

“ – estou na correria porque fui acionado para transladar um helicóptero para Salvador , porque o nosso helicóptero de lá está indisponível e houve um vazamento de óleo numa refinaria da Petrobras. Como os contratos com a Petrobras são rígidos temos que agir rápido e com eficiência para “faturar”. Afinal ...”Time is Money” !...e exploração de petróleo e contratos da Petrobras, tem muito “Money” envolvido !”

Resposta dada, ele novamente se voltou para o meu amigo marinheiro e deu sequencia a coversa entre eles

Eu, ali ... observando aquela rápida afinidade entre meus dois amigos recém apresentados por mim, fiquei feliz ouvindo a conversa entre eles.Cada qual contando as suas preocupações e experiências.A minha “ Budwiser” estava no fim .Assim propus uma rodada de Buds geladíssimas, Para minha frustração, os dois recusaram! O comandante de Marinha disse que não tinha o hábito de beber e que aceitaria um cafezinho para fumar um delicioso cigarrinho. O meu sério amigo piloto de Offshore alegou que alem do hábito de não beber durante as quinzenas de trabalho estava impedido porque ia voar, mas aceitaria um cafezinho para fumar um delicioso cigarrinho. Assim sendo , eu , bom e velho pirata aposentado , sem compromissos profissionais , sem preocupações salariais pedi ao garçom que trouxesse três cafezinhos,expressos e curtos. (afinal não ia perder a chance de filar um delicioso cigarrinho depois de um cafezinho)

Encurtando a estória...o papo correu solto e agradável até que os dois alegando motivos importantes pediram licença porque tinham assuntos inadiáveis para resolver, nos abraçamos efusivamente,mandei minhas recomendações às Maria do Carmo e Pi ,dignas companheiras dos dois,... nos despedimos e cada qual seguiu seu rumo.

Depois que os dois se foram, pensei cá comigo mesmo : “Não tenho compromisso nenhum, muito menos preocupação...então , porque estou indo embora ?”......Voltei , sentei ... pedi mais uma Budwiser ...e fique me lembrando dos ,deliciosos,voos que realizei em mais de trinta países nos cinco continentes a bordo dos varios barcos. Olhei para o rotulo da Budwiser e me lembrei que havia participado da aquisição daquele ícone americano por brasileiros. Me orgulhei disso!... A chuva havia parado e resolvi voltar a minha importante atividade diária ... a “adoração ao astro rei nos domínios de Netuno”

Pensei no inusitado encontro.Me orgulhei de ter esses bons amigos. São caras ,muito "gente boa" apesar de muito sérios e carrancudos. Imaginei que mesmo tendo filosofias de vida diferentes ,nós temos muitos pontos em comum.....mais inusitado ainda ....Descobri que por uma impressionante coincidência ,temos uma um mesmo e importante interesse em comum ! : “ Uma neta chamada Lelê !!”..... É ou não é uma impressionante coincidência  ....essa descoberta num inusitado encontro ????
 

Caros amigos da pirataria alada ....um dia eu prometo que conto qual foi a participação deste , bom e velho pirata , na aquisição da Budwiser por brasileiros...quem viver ... verá 

Beijo na bunda de todos

Nenhum comentário:

Postar um comentário